Notícia

03 de Janeiro, 2018

Reconhecer-se pecador e confessar com sinceridade, pede Papa

Primeira catequese de Francisco em 2018 foi dedicada ao ato penitencial da Missa

A catequese da primeira Audiência Geral do Papa Francisco em 2018, nesta quarta-feira, 3, foi dedicada ao Ato Penitencial, seguindo a série de reflexões sobre a Santa Missa. Aos cerca de sete mil fiéis presentes na Sala Paulo VI, ele falou sobre a necessidade de reconhecer-se pecador diante de Deus e dos irmãos, confessando os pecados com sinceridade.

O Santo Padre destacou que para receber o perdão de Deus, é necessário reconhecer os erros e pedir perdão. Ele advertiu que nada o Senhor pode dar a quem já tem o coração cheio de si e do próprio sucesso. “Quem é consciente das próprias misérias e abaixa os olhos com humildade, sente sobre si o olhar misericordioso de Deus. Sabemos por experiência que somente quem sabe reconhecer os erros e pedir desculpa recebe a compreensão e o perdão dos outros”, disse.

No Ato Penitencial, explicou o Pontífice, cada um confessa a Deus e aos irmãos ter pecado em pensamentos, palavras, atos e também por omissões, isto é, ter deixado de fazer o bem. “Não basta não fazer mal ao próximo, é preciso escolher fazer o bem, aproveitando as ocasiões para dar um bom testemunho de que somos discípulos de Jesus. O pecado rompe a relação com Deus e com os irmãos. Separa, divide”.

O Papa reconheceu que custa admitir ser culpado, mas faz bem confessar com sinceridade. Ele recordou o exemplo de figuras “penitentes” das Sagradas Escrituras, citando o rei Davi, o filho pródigo, São Pedro, Zaqueu e a mulher samaritana, que “caindo em si após terem cometido o pecado, encontram a coragem de tirar a máscara e abrir-se à graça que renova o coração”.

Por fim, Francisco assegurou que se comparar com a fragilidade do barro de que fomos formados, é uma experiência que fortifica. “Enquanto nos coloca diante da nossa fraqueza, abre-nos o coração para invocar a misericórdia divina que transforma e converte. E isso é aquilo que fazemos no ato penitencial no início da Missa”.


Fonte: Amex, com Rádio Vaticano