Notícia

01 de Dezembro, 2017

Papa ordena 16 sacerdotes em Daca: "Trazei sempre diante de vós o exemplo do Bom Pastor"

Missa presidida por Francisco na capital de Bangladesh reuniu cerca de 100 mil fiéis

“Seja o vosso ensino, alimento para o povo de Deus, e o vosso viver, motivo de alegria para os fiéis de Cristo, para edificardes, pela palavra e pelo exemplo, a casa que é a Igreja de Deus”. Esta foi a exortação do Papa Francisco aos 16 novos sacerdotes ordenados durante a única Missa pública presidida pelo Pontífice em Daca, capital de Bangladesh, nesta sexta-feira, 1º de dezembro. A celebração contou com a participação de cerca de 100 mil fiéis.

Os diáconos estudaram no Seminário Maior do Espírito Santo, único seminário de Bangladesh, que hoje acolhe 400 estudantes, uma situação contra a tendência em relação ao panorama ocidental e europeu, onde se verifica uma diminuição das vocações religiosas.

A homilia, extraída do Rito para Ordenação dos Presbíteros, foi pronunciada em italiano, com tradução simultânea em bengali nos telões espalhados pelo Suhrawardy Udyan Park. O local era um antigo hipódromo, onde o Pai da Nação, Mujibur Rahman, pronunciou um discurso histórico antes da guerra de 1971. Ali se deu a rendição do exército do Paquistão.

A homilia

“O nosso grande Sacerdote, Jesus Cristo, escolheu alguns discípulos para desempenharem na Igreja, em seu nome, o ministério sacerdotal em favor dos homens”, iniciou o Papa.

Ele explicou que os presbíteros são constituídos cooperadores dos bispos e chamados ao serviço do povo de Deus. “Eles serão consagrados como verdadeiros sacerdotes da Nova Aliança, para anunciarem o Evangelho, apascentarem o povo de Deus e celebrarem o culto divino, principalmente no sacrifício do Senhor”.

Dirigindo-se aos ordenandos, Francisco exortou: “Exerceis, no que vos compete, o sagrado múnus de ensinar em nome de Cristo, nosso Mestre (...) Distribuí a todos a Palavra de Deus que vós mesmos recebestes com alegria. Meditando na lei do Senhor, procurai crer o que ledes, ensinar o que credes e viver o que ensinais. Seja o vosso ensino, alimento para o povo de Deus, e o vosso viver, motivo de alegria para os fiéis de Cristo, para edificardes, pela palavra e pelo exemplo, a casa que é a Igreja de Deus”.

“Vocês também exercerão o múnus de santificar”, acrescentou. “Pelo vosso ministério, se realiza plenamente o sacrifício espiritual dos fiéis, unido ao sacrifício de Cristo, que é oferecido pelas vossas mãos sobre o altar. Tomai, pois, consciência do que fazeis, imitai o que realizais. Celebrando o mistério da morte e da ressurreição do Senhor, esforçai-vos por fazer morrer em vós todo o mal e por caminhar na vida nova”.

“Lembrai-vos de que fostes assumidos de entre os homens e postos ao serviço dos homens nas coisas que são de Deus. Realizai, pois, com verdadeira caridade e alegria constante, o ministério de Cristo Sacerdote, não procurando os vossos interesses, mas sim os de Jesus Cristo (...) Procurai, filhos caríssimos, unidos e atentos ao bispo, congregar os fiéis numa só família, a fim de poderdes conduzi-los a Deus Pai, por Cristo, no Espírito Santo. Trazei sempre diante de vós o exemplo do Bom Pastor, que veio não para ser servido, mas para servir e para buscar e salvar o que estava perdido”, completou.

Rezar pelos sacerdotes

Ao concluir a homilia, o Santo Padre saudou os fiéis bengaleses e fez um pedido. “Rezem sempre pelos seus sacerdotes, especialmente por estes que hoje recebem o Sacramento da Ordem Sacra. Que o povo de Deus apoie os sacerdotes com a oração. É responsabilidade de todos apoiar os sacerdotes (...) O primeiro sustento do sacerdote é a oração. Não se cansem nunca de rezar pelos seus sacerdotes. Eu sei que vocês farão isto”.

Antes de conceder a bênção final, Francisco foi saudado pelo cardeal arcebispo de Daca, dom Patrick D’Rozario. Ao sair da Sacristia, o Papa saudou também os cardeis e bispos da região.


Fonte: Amex, com Rádio Vaticano